Novidades


11.09.2017

Saiba mais sobre hiperêmese gravídica

COMO IDENTIFICAR
 
Uma vez que a náusea é um sintoma que acontece com a maioria das mulheres grávidas, o que deve chamar a atenção é a intensidade: impossibilidade de se alimentar, perda de peso ou até mesmo a desidratação acontece em mulheres que passam por essa condição. À vista de algum desses sintomas, comunique o médico para que se faça o diagnóstico e tratamento correto. 
 
COMO TRATAR
 
Há medicação disponível no mercado para controlar enjoos, que deverá ser propriamente prescrita pelo médico que faz o acompanhamento da gestação. As recomendações ficam na mudança na alimentação. Dividir grandes refeições, como o almoço ou jantar, em pequenas refeições durante o dia e evitar líquidos ao comer (mantendo um espaço de 30 minutos de diferença, seja antes ou depois) pode ajudar a controlar a frequência das náuseas. Alimentos e líquidos gelados acabam sendo melhor tolerados nessa fase, por estimularem menos a atividade gástrica. Evitar gatilhos de vômito também é uma boa alternativa. A gestante deve se observar e, quando notar que determinado odor ou perfume pode desencadear vômito ou causa incômodo, sair de perto. 
 
Fatores de risco:
 
- Histórico familiar. Quando outras mulheres na família passarem por isso, os riscos são maiores. 
- Gestações múltiplas (gêmeos não idênticos), pois têm mais hormônios- Questões psicológicas
- Hipertireoidismo 
- Infecção gástrica pela bactéria Helicobacter pylori. 
 
COMO PREVENIR
 
A hiperêmese gravídica não tem prevenção. A gestação sempre traz alterações hormonais, principal fator que provoca a doença. Por isso, esse é um mal que não pode ser evitado.